Notícias

ObservaSampa é certificado pela ONU-Habitat como membro da rede global de observatório urbano

O Observatório da cidade de São Paulo, ObservaSampa, recebeu em 26 de abril de 2022 o certificado da ONU-Habitat como reconhecimento do esforço da prefeitura de São Paulo em monitorar as políticas públicas municipais.

Trata-se de um incentivo para todas as secretarias envolvidas e também para a equipe do ObservaSampa que coordena os trabalhos, sempre em parceria com os servidores dessas secretarias, no sentido de melhorar o acesso à informação e à transparência dos dados e indicadores municipais, bem como o monitoramento das políticas públicas municipais.




Última Atualização: 28/04/2022 10:45:29

No mês da mulher confira os indicadores relativos a gênero e à temática feminina no ObservaSampa

No mês da mulher há muito para se comemorar, mas também é momento de apontar quantas conquistas ainda faltam. Nesse aspecto, os indicadores podem revelar as desigualdades que ainda persistem. 

Confira a seguir os indicadores disponíveis no ObservaSampa relativos a essa temática:

[ODS.03.01.01] Razão de óbitos de mulheres residentes por causas e condições consideradas de morte materna (por 100.000 nascidos vivos)

[ODS.05.01.01] Iniciativas de promoção da inclusão e combate a discriminação contra mulheres reconhecidas pela Prefeitura de São Paulo

[ODS.05.02.01] Número de atendimentos pelos equipamentos de mulheres da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania

[ODS.05.02.02] Número de atendimentos realizados pela Casa da Mulher Brasileira

[ODS.05.02.03] Número de acolhimentos sigilosos e provisórios para mulheres em situação de violência e para mulheres em situação de rua

[ODS.05.02.04] Meninas em acolhimento por motivo de abandono, negligência e/ou maus tratos

[ODS.05.02.06] Mulheres vítimas de violência atendidas pelo Programa Tem Saída

[ODS.05.02.07] Número de casos notificados de violência contra mulheres e meninas

[ODS.05.02.08] Denúncias de assédio sexual em ônibus públicos municipais

[ODS.05.04.02] Horas semanais dedicadas ao trabalho doméstico não remunerado por mulheres

[ODS.05.05.01] Diferença percentual entre o rendimento do trabalho entre mulheres e homens (%)

[ODS.05.05.02] Servidoras públicas ativas mulheres (%)

[ODS.05.05.04] Percentual de Servidoras municipais ativas pretas (%)

[ODS.05.05.05] Percentual de Servidoras municipais ativas pardas (%)

[ODS.05.05.06] Percentual de Servidoras municipais ativas indígenas (%)

[ODS.05.05.07] Percentual de Servidoras municipais ativas amarelas (%)

[ODS.05.05.08] Percentual de Servidoras municipais ativas brancas (%)

[ODS.05.05.09] Percentual de Servidoras municipais ativas com deficiência (%)

[ODS.05.05.10] Percentual de Mulheres no comando das secretarias municipais (Secretárias Titulares) (%)

[ODS.05.05.11] Percentual de Mulheres em cargos gerenciais no governo do município (%)

[ODS.05.06.01] Percentual de nascidos vivos de mulheres adolescentes negras (%)

[ODS.05.06.02] Número de usuários acompanhados no processo de transexualização

[ODS.05.0a.03] Termos de Permissão de Uso emitidos em nome da mulher da família (%)

[ODS.05.0a.04] Número de termos de Permissão de Uso (TPU) emitidos em nome da mulher da família

[ODS.05.0b.01] Percentual de pessoas do sexo feminino que se cadastraram no site oficial da rede FAB LAB LIVRE SP (%)

[ODS.05.0b.02] Percentual de pessoas do sexo feminino que inscreveram projetos no site oficial da rede FAB LAB LIVRE SP (%)

[ODS.05.0b.04] Percentual de mulheres trabalhando com Tecnologia da Informação e Comunicação da Prefeitura (%)

[ODS.05.0c.01] Percentual do orçamento municipal destinado a ações de promoção da igualdade de gênero (%)

[ODS.08.08.02] Número de notificações de acidentes de trabalho de mulheres no município

[ODS.08.08.05] Número de Notificações de doenças relacionadas ao trabalho* de mulheres no município

[ODS.16.07.05] Percentual de Mulheres negras em cargos gerenciais no governo do município (%)

[ODS.16.0a.03] Número de Mulheres atendidas pela Ronda Guardiã Maria da Penha

Número de mulheres acolhidas/atendidas nos CCMs e encaminhadas aos serviços especializados da rede de enfrentamento à violência

População total - mulheres

Razão de exames citopatológicos do colo do útero - Papanicolau em mulheres de 25 a 64 anos e a população da mesma faixa etária

Razão de exames de mamografia realizados em mulheres de 50 a 69 anos (por 100 habitantes da mesma faixa etária)

Taxa de mortalidade de mulheres vítimas de agressão (por 100 mil mulheres)

Última Atualização: 10/03/2022 17:10:48

Reunião Conjunta GTI-SIG e Comitê intersecretarial de Indicadores
Aconteceu no dia 27 de janeiro de 2022, a reunião integrada entre o Comitê Intersecretarial de Indicadores e o GT SIG e com a participação de cerca de 70 técnicos. O professor Alex Abiko da Escola Politécnica da USP e coordenador da ABNT CEE 268 apresentou os trabalhos que estão sendo desenvolvidos sobre cidades e comunidades sustentáveis, além de outras relativas às cidades inteligentes e cidades resilientes. As normas brasileiras que derivam desse trabalho são espelho de normas internacionais discutidas por 70 países no ISO TC 268. Em suas palavras “os trabalhos brasileiros harmonizam as normas ISO e as adaptam à realidade brasileira”. Com o objetivo de internalizar e adaptar as normas ISO para a realidade brasileira a Comissão de Estudo Especial brasileira agrega representantes do poder público como Ministério de Desenvolvimento Regional, Governo do Estado de São Paulo e várias prefeituras do Estado. Estão presentes diversas universidades públicas e privadas e ainda representantes de empresas de consultorias. Salientou o professor que as normas técnicas são de uso voluntario, porém enfatizou a importância da adoção por parte do setor público para medir desempenho de programas e políticas, por meio de procedimentos padrão e de indicadores que sejam comparáveis com outras realidades. A importância não está na quantidade, mas na qualidade dos indicadores salientou Harmi Takyia do TCM e Marilia Roggero, coordenadora do ObservaSampa. Os indicadores do ObservaSampa tornaram-se objeto de estudo de equipe da Poli ligado à Comissão da ABNT. O objetivo é verificar a aderência às normas técnicas e fazer sugestões de melhorias nos indicadores.

Última Atualização: 28/01/2022 13:36:18

Relatório Anual de Atividades - ObservaSampa (2021)

O Observatório de indicadores da cidade de São Paulo durante o ano de 2021 teve sua consolidação como a plataforma de monitoramento de grandes programas e agendas municipais da cidade de São Paulo. Dando continuidade ao trabalho de manutenção e atualização de seus indicadores, a equipe do ObservaSampa participou ativamente de diversas atividades intersecretariais durante o ano de 2021. Todas essas atividades estão relatadas nos tópicos a seguir:

1 – Manutenção da plataforma junto à Prodam e atualização dos indicadores.

2 – Continuidade das edições do curso sobre indicadores e utilização da plataforma do ObservaSampa. Foram três edições do curso na EMASP com duração de 4 horas. Todo conteúdo do curso foi adaptado para o modelo on-line. Nesse ano o ObservaSampa foi inserido no curso de ingressos da PMSP, trata-se de um curso gravado e enviado para novos servidores municipais.

3 – Participação da equipe ObservaSampa junto com a equipe dos informes urbanos e parceria com a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e Secretaria Municipal de Assitência Social (SMADS) resultando na publicação do informe urbano sobre a inserção dos imigrantes do cadastro único, traçando um perfil dos cadastrados e beneficiários. O lançamento desse informe foi feito via live, com a participação da equipe de Geoinfo (SMUL), SMDHC e SMADS.

4 – Participação da equipe do ObservaSampa no Programa Plurianual (2022 – 2025)  junto com a equipe da Secretaria do Governo Municipal no auxílio para a elaboração e escolha dos indicadores de monitoramento. Participação nas reuniões com os pontos focais de todas as secretarias municipais.

5 – Participação da equipe do ObservaSampa no projeto de cooperação sul-sul - Redução das Desigualdades com Foco na Transversalização das Perspectivas de Território, Gênero e Raça/Etnia nas Políticas Públicas. O projeto focou a construção de indicadores que levassem em conta a perspectiva territorial, gênero e raça/etnia e a importância dessa desagregação para as políticas públicas locais.  As oficinas, bem como os outros momentos de reunião virtual, permitiram o compartilhamento de conceitos, metodologia e experiências sobre a construção de indicadores. 

6 – Atualizações dos indicadores realizada em duas etapas – a primeira em maio e a segunda em novembro. Esses dois períodos de atualização foram acertados junto com o Comitê.

7 – Inserção dos Indicadores do ODS na plataforma do ObservaSampa e auxílio na organização dos dados a serem enviados por todas as secretarias municipais, parceria de trabalho com a Secretaria do Governo Municipal, responsável pela coordenação da Agenda 2030. O Balanço das inserções e atualizações dos Indicadores ODS, podem ser verificados no conteúdo de estudos deste site.

8 – Realização de reuniões setoriais com todas as secretarias sempre visando à revisão e atualização dos indicadores que se encontram publicados na plataforma.

9 - Realização de reuniões do Comitê Intersecretarial de indicadores – duas no primeiro semestre e uma no fim do ano para realização de balanço das atividades.

10 – Acompanhamento do número de acessos do site por meio de relatórios mensais detalhados.

11 – Participação de técnico do ObservaSampa no curso de Pensamento Urbano Estratégico oferecido Centro Iberoamericano de Desenvolvimento Estratégico Urbano, realizado ao longo de seis meses.

Última Atualização: 20/12/2021 11:17:06

17ª reunião do Comitê Intersecretarial de Indicadores da Cidade de São Paulo.

Comitê Intersecretarial de Indicadores da Cidade de São Paulo.

17ª reunião ordinária em 10 de dezembro de 2021

Estavam presentes de forma virtual, via plataforma Teams, os representantes das seguintes de 17 órgãos municipais, a saber: SGM, SF, SMPED, SMSUB, SMC, SEHAB, SME, SMIT, SMJ, SMS, SMSU, SMDET, SVMA, CGM, PGM, SMRI, e SMUL que coordena os trabalhos. Ausentes: Prodam, SMADS, SMDHC, SEME, SMT, SIURB e Casa Civil.

A coordenadora do comitê, Marilia Roggero (SMUL/ GEOINFO) iniciou os trabalhos com a apresentação da equipe do Observa e relatou os principais projetos elaborados durante o ano e aqueles que terão continuidade em 2022, como  a participação no GT de monitoramento do Plano de Governo Aberto (coordenado pela SMIT) e no grupo relacionado às cidades sustentáveis da ABNT.

A seguir, apresenta o balanço da inserção e da atualização dos indicadores na plataforma. Em resumo, o Observa Sampa conta hoje 562 indicadores dos quais 271 referentes aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e 94 ao Plano Plurianual (PPA). Apesar de existirem indicadores que respondem a mais de um tema ou agregação, o número é expressivo e tende a aumentar com a inserção de nova leva de indicadores dos ODS, assim que forem enviados pelas secretarias. Marilia enfatiza que a inserção e atualização é um trabalho constante e rotineiro e, desta forma, os totais são dinâmicos e se alterarão com a chegada de novos indicadores. Até o momento, 65% dos indicadores foram atualizados com dados de 2020, taxa essa considerada expressiva e resultante da entrada dos indicadores dos ODS. Em relação a estes, foi mostrado que dos 16 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, 14 já apresentam dados no Observa.  

Por fim, como forma de abrir o debate, Marilia levanta a questão de que quantidade de indicadores não representa necessariamente, qualidade. E, por isso, pretende iniciar o ano com uma avaliação qualitativa dos indicadores inseridos convidando os responsáveis das secretarias no Comitê, para reuniões de apreciação e, se for possível, de qualificação dos indicadores.

Depois dessa apresentação inicial, Marilia abre a palavra aos comentários dos participantes.

Inicialmente os novos membros colocaram questões de esclarecimentos quanto à plataforma e quanto ao seu funcionamento.

Henrique Pougy (SGM) pergunta a quantidade de indicadores atualizados, independentemente dos ODS e como é o procedimento de atualização, se os dados são digitados ou se há dados internalizados, extraídos automaticamente de outros bancos de dados.

Marilia explica que os dados são enviados para SMUL pelas Secretarias em planilhas (excel) e depois inseridos manualmente na plataforma pela equipe do Observa. No entanto, está em estudo a interação com outras bases, uma vez que já é praticada pelo Geosampa. O representante de SMS, Breno Aguiar, reforça a possibilidade da prática de extrações diretas de dados entre os órgãos da prefeitura.

Juliana del Poente (SMPED) pergunta sobre a disponibilização dos dados do Plano de Metas via Observa ou se haverá apenas um extrato deles, como aconteceu no plano de metas anterior. Em resposta Marilia esclarece que não houve ainda tratativas a este respeito e segundo Sandro Palanca da SF, há sim a intenção de que o Observa seja a plataforma.

Breno Aguiar pergunta se o Observa foi feito pela Prodam e se usa código aberto. A resposta é afirmativa quanto ao desenvolvimento por parte da Prodam em software livre e código aberto.

Vitor Vaneti da equipe do Observa coloca o foco na necessidade de construção de bons indicadores. Visto que há uma mística pela quantidade quando, de fato, o que importa é a qualidade do dado. Neste sentido, Marilia Roggero enfatiza a próxima etapa, em 2022, a ser desencadeada junto aos representantes do Comitê, para uma avaliação conjunta. Neste sentido, o representante da SF lembra que os indicadores do PPA são parte de uma lei, que não podem ser alterados a não ser com uma boa justificativa e em caráter excepcional.

Após breve apresentação dos novos membros do Comite, Marilia conclui a terceira reunião do Comitê Intersecretarial do Observatório de Indicadores da Cidade de São Paulo, e eu Rossella Rossetto, integrante do Observa Sampa, redijo essa ata, a partir de anotações e da gravação feita pela plataforma Teams.


Última Atualização: 13/12/2021 10:59:30

Missão Virtual - La Paz - Projeto Mercocidades
La misión virtual del municipio de La Paz contará con dos sesiones de 2 horas cada una, en la que presentará las iniciativas y políticas implementadas en el marco del Plan Municipal La Paz “Ciudad en movimiento” conformada por 6 ejes, 17 subejes y 36 programas, que busca fortalecer la institución y hacer partícipe al ciudadano en la toma de decisiones. Por otro lado, los ejes del Plan Municipal están alineados a la Agenda ODS plasmados en un mapa estratégico. En esta misión se dará cobertura al territorio, género y población vulnerable.

Acompanhe pelo YouTube: clique aqui!

Última Atualização: 09/11/2021 09:47:02

Missão Virtual - São Paulo - Projeto Mercocidades